Páginas

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Fluxo 5º ano II unidade


 



Gêneros textuais sugeridos: Narrativas breves (lenda, mito, fábula e conto), história em quadrinhos, relato de experiência, debate, júri-simulado, poema, paródia, resumo.

EIXO: Produção e compreensão de textos orais
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Gêneros: canção, paródia, júri-simulado;




























  • Variedade linguística;


  • Descrição de ambientes e pessoas;

  • Gênero: relato de experiência;





  • Modalidades da oralidade e da escrita.








- Ouvir canções (M);

- Selecionar e entoar canções, individualmente ou em grupo (M);

- Comparar e avaliar diferentes interpretações da mesma canção (M);

- Usar respeitosamente as variedades linguísticas empregadas em canções (M);

- Discutir as relações possíveis entre letra de canção e acontecimentos e/ou valores de uma época (M);

- Participar em júri-simulado, fundamentando pontos de vista (OTM);

- Adequar a fala à situação de comunicação (DC);

- Argumentar sobre um fato de forma adequada e coerente (DC);

- Reconhecer o ponto de vista dos interlocutores (OTM);

- Saber ouvir e respeitar os pontos de vista diferentes (DC);

- Perceber e respeitar as variações linguísticas (DC);

- Descrever com clareza ambientes e pessoas (DC);

- Relatar experiências, sentimentos e ideias (OTM);

- Narrar experiências vividas ou histórias conhecidas com clareza e coerência (DC);

- Distinguir similaridades e diferenças das modalidades oral e escrita da língua (OTM);

- Perceber e utilização das regularidades do discurso formal público (OTM).



Etapas para o trabalho com gênero canção
- Escolher uma canção (sugestão “Ciranda da Bailarina” de Chico Buarque). Antes de iniciar, faça um trabalho de sensibilização com a criançada. Pergunte aos estudantes o que eles já sabem sobre o artista escolhido, em seguida, escreva no quadro a letra e peça para os estudantes acompanharem enquanto cantam. Se possível apresente mais de uma versão (Chico Buarque, Adriana Calcanhoto, Sandy, Adriana Partimpim);

- Discutir com a turma o tema da canção e se perceberam como a melodia o reflete. Compare as diferentes versões da música para que avaliem as diferentes interpretações da mesma canção e se possível entre letra de canção e acontecimentos e/ou valores de uma época;

Etapas de preparação do júri-simulado
- Selecionar uma imagem, reportagem recente, notícia ou documentário cujo tema desperte o interesse da turma. Não esqueça que o tema deve trazer uma questão polêmica;

- Levantar alguns questionamentos sobre o material lido ou assistido, a fim de explorar o assunto abordado e buscar as opiniões dos estudantes contra ou a favor;
Em outro momento, leve para a sala de aula um vídeo apresentando um julgamento, para que eles possam perceber algumas características do gênero. Chame a atenção para cada integrante que compõe a cena, por exemplo: platéia, juiz, advogado, promotor, policiais (se for o caso) etc;
Chame a atenção dos estudantes para a variedade linguística (termos técnicos) utilizada pelos integrantes, é a variante mais próxima da linguagem formal;

- Deixar claro que para desenvolver bons argumentos é necessário ouvir e respeitar o que o outro diz. Deve-se escutar com respeito seus pontos de vista e apresentar os seus também, de modo respeitoso para não ofender o outro. A oposição é de ideias, não de pessoas. Essa e outras regras devem ser definidas coletivamente antes da realização do júri-simulado;

- Dividir a turma em pequenos grupos e definir a função de cada grupo para a realização do júri-simulado;

- Pesquisar sobre o tema, isso ajudará na construção dos argumentos;

- Promover momentos de ensaios dos grupos. Observe os argumentos criados por cada um. Procure envolver toda turma no trabalho.
EIXO: Leitura e compreensão de textos
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Gênero: canção, poemas;
  • Modalidades de leitura;
  • Estudo dos suportes e das características dos gêneros textuais;




















  • Gêneros: canção, poemas;
  • Estratégia de leitura;








  • Gênero: canção, poema, júri-simulado, debate;
  • Aspectos da textualidade;
























  • Aspectos gramaticais;


  • Gênero: resumo.
- Ler com fluência palavras e pequenos textos (DC);

- Ler em voz alta com fluência (DC);

- Ler e compreender textos não-verbais (DC);

- Compreender textos lidos por outras pessoas (DC);

- Identificar elementos estruturais do gênero canção: refrão, repetições de estrofes (M);

- Identificar as especificidades da rima e/ou do ritmo, em canção (M);

- Relacionar letra de canção com acontecimentos e/ou valores de uma época (M);

- Interpretar o ponto de vista do eu lírico de canções (M);

- Conhecer e reconhecer características referentes aos diferentes suportes textuais (DC);

- Conhecer e reconhecer características referentes aos diferentes gêneros discursivos (DC);

- Antecipar sentidos do texto (DC);

- Localizar informação explícita no texto (OTM e DC);

- Depreender informações implícitas nos poemas (OTM);

- Inferir o sentido de palavras ou expressões de sentido figurado em canção (M);

- Realizar inferência (DC);


- Identificar tema de canção (M);

- Identificar o tema de texto poético (OTM);

- Identificar idéia central do texto (DC);

- Estabelecer a relação título/texto (OTM e DC);

- Relacionar a repetição de termos com possíveis sentidos em uma canção (M);

- Estabelecer relações entre partes de um texto identificando repetições, substituições que contribuam para a sua coesão/coerência (DC);

- Ordenar a seqüência lógica do texto (OTM);

- Estabelecer a relação de causa/efeito (OTM);

- Estabelecer relações lógico-discursivas entre partes do texto (DC);

- Interpretar as palavras e/ou expressões de acordo com os contextos (OTM);

- Identificar sentidos ou informações com base em imagens (fotos, ilustrações, gráficos, mapas e outros recursos visuais) (DC);

- Distinguir entre fato e opinião em texto argumentativo (OTM);

- Perceber os efeitos de sentido dos sinais de pontuação (OTM);

- Resumir texto (DC).
Etapas para continuidade ao trabalho com o gênero canção iniciado no eixo de oralidade.
- Cantar a música com os estudantes. Depois realize perguntas que os levem a explorar o texto e interpretar o ponto de vista do eu lírico. Caso haja alguma palavra desconhecida ou de sentido figurado na letra da canção, releia junto com a turma o trecho várias vezes e/ou peça que consultem o dicionário para melhor compreensão. É interessante selecionar alguns termos repetidos para discutir com os estudantes o aspecto subjetivo da canção e os efeitos de sentido provocado pela escolha do léxico;
Depois, chame a atenção da turma para presença de outras características como: o caráter híbrido do gênero, pois é o resultado da conjunção de dois tipos de linguagens, a verbal e a musical (ritmo e melodia) que devem ser pensadas juntas; a tripla competência: a verbal, a musical e a lítero-musical; a presença da vocalidade mais ou menos precisa (interpretação); sua dimensão escrita – no momento da produção, o compositor registra sua criação e, no momento da divulgação (encartes, discos, partituras, folhetos e antologias); a disposição de recursos semelhantes ao processo de criação poética: a métrica, o sentido figurado, a rima, etc; a relação com a literatura: a aproximação com a poesia na escrita e o distanciamento na não-escrita, na execução/divulgação;
Se possível apresente aos estudantes o CD do artista escolhido, explore-o como suporte textual. Diga que às vezes, antes da versão final, outras versões também são feitas pelo artista. Mostre que a canção tem uma dimensão escrita – no momento da produção, o compositor registra sua criação e, no momento da divulgação o encarte (encartes, discos, partituras, folhetos e antologias). Destaque os recursos gráficos e os elementos do processo coletivo de produção para veiculação;
Depois, construa com os estudantes um esquema das principais características do gênero e das etapas vivenciadas por eles, retomando todo o processo;

Etapas para continuidade ao trabalho com o gênero júri-simulado iniciado no eixo de oralidade.
- Orientar os estudantes na realização das pesquisas sobre o tema. Ajude-os a realizarem esquemas e resumos para facilitar o estudo. Sugira que busquem informações em diversas fontes (jornais, revistas, internet, etc.). Caso algum estudante apresente dificuldade na compreensão do significado das palavras ou de termos técnicos, oriente-o a consultar o dicionário. Outra sugestão é realizar a leitura do parágrafo inteiro ou se apoiar em imagens, caso houver. É importante também distinguir o fato da opinião, nos textos que servirão de apoio para a argumentação, assim durante o júri poderá citá-lo com mais propriedade.

EIXO: Produção de textos escritos
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Condições de produção nos gêneros canção, poemas, história em quadrinhos, paródias;


















  • Revisão e reescrita de textos;


















  • Aspectos da textualidade;








  • Aspectos gramaticais.









- Refletir sobre as condições de produção (finalidade, destinatário, gênero) (DC e OTM);

- Compreender as características das tipologias/gêneros textuais (DC);

- Ditar textos de diferentes gêneros discursivos (DC);

- Produzir coletiva e/ou individualmente poemas, quadrinhos, paródias, atentando para as suas características (OTM e DC);

- Escrever canções (M):
•elaborando paródias de canções conhecidas;
•empregando elementos estruturais (refrão, repetição de estrofes) na organização do texto;
•elaborando o ritmo e as rimas.

- Revisar os textos produzidos, a fim de adequá-los ao contexto de produção (DC);

- Revisar o texto da canção, observando (M):
•a divisão em versos e estrofes,
•o uso adequado de pontuação;
•a correção ortográfica das palavras;
•a concordância verbal e a nominal;
•o uso de conectivos causais e temporais.

- Revisar texto com foco na análise de coerência/coesão textual; progressão textual (início, meio e fim); persistência temática (OTM);

- Reescrever textos (OTM);

- Produzir textos com coesão/coerência, usando os recursos da língua (conectores, progressão temática e encadeamento das ideias) (DC);

- Atribuir um título adequado ao texto ou às seções e subtópicos dos mesmos (DC);

- Estabelecer a correlação entre o sentido e a intenção do texto e os sinais de pontuação (DC e OTM);

- Usar os mecanismos gramaticais (concordância nominal/verbal, ortografia, acentuação, pontuação) partindo dos gêneros produzidos (DC);

- Utilizar recursos estilísticos (OTM).

Etapas para continuidade do trabalho com o gênero canção.
- Propor a turma uma atividade de produção do gênero (canção, poema). Você pode sugerir o tema “Procurando bem. Todo mundo tem...” (extraído da canção Ciranda da Bailarina – Chico Buarque). Salientamos a importância de explorar as condições de produção com os estudantes. Estes aspectos precisam ser abordados e clarificados para orientar melhor a produção do gênero. O momento de produção poderá ser realizado individualmente, em dupla ou em grupo;
Para o momento de revisão selecione algumas produções para servir de exemplo, não identifique o autor para não gerar constrangimento;

- Observar se os textos produzidos atenderam as condições de produção propostas inicialmente (finalidade, destinatário, gênero);

- Explorar também os aspectos textuais presentes na produção. Na especificidade do gênero, por exemplo, podemos observar o ritmo, a melodia, a repetição (paralelismo, refrão, retomada), o tipo de linguagem (mais concisa, mais informal), o estilo musical ou poético. Na coesão e coerência textual, você pode observar o uso de conectores, a progressão temática, o encadeamento das ideias e a relação título/texto, estes são alguns tópicos;

- Abordar os aspectos gramaticais partindo das produções dos estudantes. Chame a atenção deles para os efeitos de sentido causados pela pontuação, por exemplo. Selecione alguns erros mais comuns realizado por eles e discuta com o grupo. É importante destacar o que se pede nesse bimestre (concordância nominal e verbal, ortografia, acentuação, pontuação);

- Propor a reescrita do texto (canção, poema). Explique a turma que a produção inicial teve por objetivo convidá-los a produzir um primeiro texto do gênero em foco, que esse texto precisa ser aprimorado e que esse é movimento de todo escritor;
Terminada essa atividade, peça que socializem seus textos (canção, poema) para a turma. Deixe-os à vontade para escolher a modalidade da apresentação (apresentação musical, declamação, dramatização, etc.).
EIXO: Análise linguística e reflexão sobre a língua e seus usos
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Formação de palavras;
  • Fonologia: letra;





  • Sílabas átonas e tônicas;





  • Segmentação de palavras;


  • Aspectos gramaticais: substantivo, adjetivo, pronomes, concordância verbal e nominal, verbos;












  • Normas ortográficas regulares morfológico-gramaticais presentes nas flexões verbais;
























  • Normas ortográficas regulares morfológico-gramaticais presentes em substantivos e adjetivos;
















  • Pontuação;





  • Ortografia: P, B, T, D, F e V;
  • Dígrafos;
  • Ortografia:
* uso do H inicial;
* uso do R ou RR;
* uso do G ou GU;
* uso do C ou QU;
* uso do J formando sílabas com A, O e U;
* uso do S no início das palavras formando sílabas com A, O ou U;
* uso de O ou U no final de palavras que terminem “com o som de U”;
* uso de E e I no final de palavra que terminem com o som de “I”;
* uso de M, N e NH, ou para grafar todas as formas de nasalização da nossa língua;
- Emprego de “r” e “l” depois de consoantes;
- Emprego de “g” e “j” em palavras;
- Uso de sílabas terminadas em “u” e “l”;
  • Regularidades ortográficas;
  • Irregularidades ortográficas.


- Formar palavras a partir dos textos estudados (regularidades diretas e contextuais) (OTM);

- Usar adequadamente letras maiúsculas e minúsculas (DC);

- Distinguir sílabas átonas e tônicas (DC);

- Classificar palavras quanto à tonicidade (oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas) (DC e OTM);

- Escrever controlando a segmentação de palavras em frases (DC);

- Compreender a funcionalidade das classes gramaticais de acordo com a necessidade da produção escrita (DC);

- Compreender a funcionalidade dos verbos empregando gradativamente a noção de tempo e modos verbais, de acordo com a necessidade de produção escrita (DC);

- Estabelecer relação de concordância verbal e nominal (DC);

- Relacionar verbo com seu referente, observando a concordância entre eles (OTM);

- Utilizar as normas ortográficas regulares morfológico-gramaticais presentes nas flexões verbais: uso do U na terceira pessoa do singular do passado (perfeito do indicativo) como, cantou; uso do ÃO na terceira pessoa do plural do futuro do presente, por exemplo, cantarão; uso do M no final de todos os tempos verbais, exceto no plural do futuro do presente; uso do SS em todas as flexões do imperfeito do subjuntivo, como cantasse; uso do R nos verbos do infinitivo (DC);

- Compreender a função do substantivo próprio e comum, concreto e abstrato, primitivo e derivado partindo do processo de produção escrita (DC);

- Compreender a relação substantivo x adjetivo partindo do processo da produção escrita (DC);

- Perceber a funcionalidade dos adjetivos nos textos e utilizar os pronomes pessoais enquanto elementos de coesão textual (DC);

- Utilizar as normas ortográficas regulares morfológico-gramaticais presentes em substantivos e adjetivos (uso do ESA nos adjetivos que indicam lugar de origem, por exemplo, "portuguesa"; substantivos derivados de adjetivos terminados com o segmento sonoro /eza/ se escreve com EZA; uso do ÊS nos adjetivos que indicam lugar de origem, por exemplo, chinês; uso do L no final de coletivos como, canavial; uso do S em adjetivos terminados em OSO; uso do C em substantivos terminados com sufixos ICE; uso do C ou Ç no final dos substantivos derivados que terminam com sufixos ÊNCIA, ANÇA, ÂNCIA;) (DC);

- Empregar pronomes possessivos (OTM);

- Usar adequadamente os sinais de pontuação considerando sua funcionalidade, de acordo com as necessidades da produção escrita e da leitura (DC e OTM);

- Utilizar as normas ortográficas regulares diretas a partir das grafias P, B, T, D, F, V (DC);

- Empregar corretamente os dígrafos NH, LH, CH, RR, SS (DC);

- Empregar o H inicial (DC);

- Utilizar as normas ortográficas regulares contextuais (uso: R ou RR; G ou GU; C ou QU; J formando sílabas com A, O, e U; S no início das palavras formando sílabas com A, O ou U; O ou U no final das palavras que terminam com o som de U; E e I no final de palavras que terminem com o som de I; M, N, NH ou ~ para grafar todas as formas de nasalização da nossa língua) (DC);

- Compreender algumas irregularidades ortográficas (escrita: som do, "G" como em "girafa e "jiló"; som do "Z" como em "zebu", "casa" e "exame"; som do "X" como em "enxada" e "enchente"; "L" ou "LH" como em "Júlio" e "julho" (DC);

- Empregar palavras com lh e li; ss, ç, c, s; o, u, ou e l, s com de z (OTM);

- Inferir regularidades ortográficas (OTM).


- Organizar caça-palavras ou cruzadinhas com palavras retiradas da canção trabalhada. Chame atenção para os prefixos e sufixos na composição das palavras;

- Pesquisar na canção palavras polissílabas, trissílabas, dissílabas e monossílabas. Em seguida, explore os sons das sílabas das palavras pesquisadas, distinguindo-as em sílabas átonas e tônicas, depois classifique em oxítona, paroxítona ou proparoxítona;

- Escrever frases no quadro com hiper-segmentação. Solicite que marquem com um traço demarcando os espaços entre as palavras. Quando se tratar de hipo-segmentação. Solicite que pesquisem no dicionário a escrita correta das palavras e confronte com o modo como escreveram;

- Ler com a turma o texto escolhido (poema, canção etc.). Solicitar aos estudantes que registrem diferentes eventos que aconteceu hoje de manhã, semana passada, ontem e agora – selecione um texto que permita esse trabalho - se preferir pode pedir aos alunos que pintem os acontecimentos no texto. Aproveite para explicar os tempos verbais através da estrutura das palavras;

- Trabalhar adjetivos sugerimos o poema “Borboletas” de Vinicius de Moraes. Você poderá escrevê-lo na lousa para que os estudantes copiem e explorem também a canção (versão de Adriana Partimpim). Motive a turma a cantar a letra da música, depois peça que leiam o poema, para que conheçam o seu sentido global e percebam a sonoridade e o ritmo das palavras. Incentive-os a explorar o poema, o importante é que assimilem a subjetividade e os aspectos estéticos da linguagem presentes no texto poético. Em seguida, organize-os em grupo de 4 estudantes e peça que discutam e registrem no caderno o seguinte roteiro de leitura:  Como o poeta descreve as borboletas? No caderno, escreva as palavras que caracterizam as borboletas do poema. Qual é a função destas palavras no poema? Que palavras sugerem alegria? Sinceridade? Claridade? Que borboleta foi comparada à noite? Essas palavras pertencem ao gênero masculino ou feminino? Essas palavras podem variar em número?
Depois reflita com os estudantes as semelhanças e diferenças de uma borboleta para outra. O que as caracteriza, quais as palavras informam o jeito de cada uma; que relação pode ser estabelecida entre a cor e a borboleta descrita. É interessante discutir com os estudantes o aspecto subjetivo da descrição neste texto poético e os efeitos de sentido provocado pela escolha do léxico para a descrição na poesia e dos sinais de pontuação;
Antes de iniciar a atividade seguinte, retome o conteúdo por meio das perguntas: que palavras foram usadas na descrição das borboletas, no poema de Vinícius? Essas palavras são adjetivos? Registre na lousa os adjetivos, relacionando-os aos substantivos a que se referem.

- Solicitar aos estudantes que pesquisem em livros, na internet, etc. sobre a classe das palavras denominada pela gramática de adjetivo. Peça-os que registrem no caderno o significado desta palavra e sua função, usando suas próprias palavras. Na sala de aula discuta com os estudantes as possíveis respostas e apresente novos exemplos;

Essa atividade poderá ser utilizada com outros dígrafos.
- Explicar que você vai ditar uma fábula de Esopo (sugerimos O Burro que Vestiu a Pele de um Leão) para ver como eles escrevem algumas palavras. Ressalte que eles devem se esforçar ao máximo e grafar da maneira que acham correto. Antes de iniciar, faça uma contextualização e comente sobre o gênero, o autor e possível conteúdo, remetendo-se ao título. Aproveite para ser um modelo de comportamento leitor. Faça o ditado e, a cada vez que palavras nas quais as letras R e RR estiverem entre vogais, pergunte aos estudantes de que forma ela deverá ser escrita;

- Organizar a turma em duplas e distribuir um quadro (tabela) que contenha várias palavras em que R e RR apareçam em vários contextos (que correspondem aos diferentes "sons de R"). Distribua também algumas revistas e peça que as duplas procurem palavras que tenham R e RR e que possam ficar em cada coluna do quadro. Ajude-os caso tenham dúvidas na procura ou se você perceber que não entenderam as regularidades das palavras organizadas no quadro; 

- Solicitar que elaborem uma explicação a respeito de quando deve-se usar R e RR. Peça que eles ditem para você escrever no quadro. A questão do som e da localização da letra é fundamental que apareça nas explicações. Estimule essa reflexão e debata com a turma. As regularidades encontradas na escrita devem ficar disponíveis na classe, afixada, por exemplo, em um mural de registro de conhecimentos 
ortográficos. Deve ser consultada sempre que se precisar. É importante que o professor mostre como utilizar o registro para que a turma tire dúvidas.
Fluxo de Aula / Matemática


 
5º Ano / II Unidade


 



EIXO: Números e operações

CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES

·      Reconhecimento dos números racionais em diferentes contextos- cotidianos e históricos;






·      Exploração de situação problema que indicam relação/parte/todo, quociente, razão ou funcionam como operador;
·      Multiplicação comparativa: noção de proporcionalidade;
  • Fração equivalente;
  • Divisão;
  • Fração de uma quantidade;
  • Problema com a ideia de fração;

  • Simplificação de fração;
  • Adição e subtração com fração;

  • Situação-problema         com ideia de fracionária;











  • Resolução de problema sobre o sistema monetário.

- Identificar os divisores e múltiplos de um número natural (M);

- Efetuar divisão com dois algarismos no divisor (M);

- Calcular a fração de uma quantidade (M);

- Representar com fração uma quantidade igual, maior ou menor que o inteiro (M);

- Reconhecer frações equivalentes (M);

- Transformar frações tornando-as equivalentes (M);

- Resolver                                                                                                                     situação problema que envolva a ideia fracionária (M);

- Adicionar e substituir frações com denominadores iguais(M);

- Formular pergunta para um texto incompleto de situação-problema (M);

- Resolver situação problema  por meio de estratégias pessoais e uso de técnica operatórias convencionais (DC).




























Múltiplos de um número natural é o produto da multiplicação deste por um número natural qualquer.
EX: Observe:
2x5=10
2x6=12
2x8=18 (Os números 10,12 e 16 são múltiplos de 20).

- Completar as sequências:
Múltiplos de 3 
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
-----
0
3
6
9
12
15
18
21
24
27
-----

- Perceber se os estudantes assimilaram bem o conteúdo promovendo atividades que explorem a oralidade. Dentre os elementos do conjunto F=(1,2,3,4,5,6,7,8,9,10): a) quais são os divisores de 30? R- (1, 2, 3, 5, 6, e 10), b) qual o menor e o maior divisor do número 78? R- (1 e 78) e c) quais são os divisores de 56 maiores que 5 menores que 10? R- (7 e 80).
- Explorar o conhecimento dos alunos a respeito de fração;
- Discutir e questionar os estudantes sobre conceitos matemáticos. Solicite que registrem, explicando para uma criança o que é 3/5. A relação parte todo é apenas um dos significados de um número racional na forma fracionária. Discuta também o fato de uma fração não poder demonstrar o resultado de uma divisão. Dessa maneira, está ligada ao quociente de dois números naturais. Lembre que ela ainda representa uma constante de proporcionalidade, como uma escala, uma velocidade ou uma porcentagem;
- Proporcionar um debate para os estudantes sobre noção de proporcionalidade. Mostre aos estudantes, calculando quantidades de objetos, seja utilizando a balança e pesando objetos que descobrimos cada vez mais a ideia de proporcionalidade. Esse é um conceito complexo, que exige muitas habilidades do raciocínio. Por isso, é importante ampliar os objetivos, propondo aquisições básicas para cada momento da atividade. Faça adequações quanto aos valores e recursos de apoio para as operações. Estimule a colaboração entre os colegas para que exercitem suas habilidades e contribuam com seus procedimentos.

- Trazer a seguinte situação problema: sabe-se que 20 caixas de alimentos pesam 60 kg. Quanto pesa 30, 60 e 120 caixas? Os estudantes podem utilizar diferentes estratégias: se 20 caixas pesam 60 kg, 10 caixas pesam 30 kg! Então 20 caixas + 10 caixas = 30 caixas e 60 kg + 30 kg = 90 kg! Se 60 é o triplo de 20, então o peso de 60 caixas será o triplo de 60, ou seja, 180... e o de 120 vai ser o dobro! Cada uma dessas estratégias listadas acima explora o conceito da proporcionalidade.
- Promover com os estudantes a discussão de todas as opções que apareceram durante a atividade e, aos poucos, levante com eles as afirmações a que se pode chegar. Exemplos que podem ser usados: "Ao duplicar o número de caixas, o peso total também dobra" ou "Achando o peso de uma caixa, basta multiplicá-lo pelo valor de caixas que se quer saber". A criança pode utilizar diversas estratégias para resolver o problema.
- Observar as representações e perceber se são ou não equivalentes.
a)
b)
c)
d)
e) 
Após uma compreensão inicial sobre expressões numéricas, é hora dos estudantes trabalharem com histórias matemáticas ilustradas.

- Elaborar com os estudantes relatos de situações problema utilizando-se de ilustrações;
É interessante montar um livro com os relatos construídos.
Os estudantes devem escrever uma expressão que descreva matematicamente a situação historiada. Uma boa ideia é dividir a turma em grupos e estabelecer um rodízio das produções.

- Apresentar situações problema relacionadas ao dia a dia do estudante que envolva o manuseio de dinheiro.

Veja os preços das televisões e responda: R$ 1.560,00 e R$ 320,00.
1. Qual é a diferença entre os preços? 2. Se fossem vendidas duas televisões com o preço mais barato, quanto se gastaria? 3. Represente com duas possibilidades diferentes o preço da televisão mais cara, escrevendo quantas notas foram usadas para compor a quantia.

EIXO: Álgebra e funções

CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES

·           Determinação do elemento desconhecido em uma igualdade matemática: Resolução de problemas;
·           Introdução da ideia de proporcionalidade por meio de situações do cotidiano do estudante;
















  • Resolução de problemas simples envolvendo a proporcionalidade inversa entre grandezas.
- Determinar um elemento desconhecido em uma quantidade matemática (M);


- Resolver situações problema do cotidiano que envolva a ideia de proporcionalidade (M);

- Reconhecer que diferentes situações problema podem ser resolvidas com uma única operação e que diferentes operações podem resolver um mesmo problema (DC e OTM);

- Resolver situações problema que envolva a proporcionalidade inversa entre grandezas (M).
- Determinar o elemento desconhecido. Um carro com velocidade constante de 100Km/h, vai da cidade A até a cidade B em 3 horas. Quanto tempo levaria esse mesmo carro para ir de A até B, se sua velocidade constante fosse 160Km/h?
- “Brasília é a capital da República Federativa do Brasil e sua quarta maior cidade. Na última contagem realizada pelo IBGE em 2009, sua população foi estimada em 2 606 885 de habitantes. Sua área é de 5 802 km2.”
a) De acordo com os dados acima, determine a razão entre o número de habitantes e a área de Brasília.
Solicite aos estudantes a utilização das calculadoras visto que, nesse caso, é preciso calcular o quociente (número de habitantes por quilômetro quadrado).

b) O que significa essa razão?
A razão significa que em cada quilômetro quadrado (km2) existem, em média, 449,3 habitantes (hab). Ou seja, A < em> densidade demográfica de Brasília é 449,3 h ab/km2.
Formalize o conceito de densidade demográfica, registrando que:


- Solicitar aos estudantes que tragam para a sala de aula recortes de jornais e revistas nos quais apareçam a ideia de porcentagens e discutam sobre seus respectivos valores.

EIXO: Grandezas e medidas
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Ampliação de atividades de exploração e identificação das grandezas de massa, área, tempo, capacidade e temperatura;
















































  • Estudo de escala.


















- Empregar as diferentes unidades padronizadas de medida de capacidade (M);

- Reconhecer grandezas mensuráveis como comprimento, massa e capacidade (DC);


- Identificar a unidade de capacidade mais adequada para o que se quer medir (M, DC e OTM);

- Proceder a convenções no sistema de medida de capacidade (M);

- Relacionar unidades de medida de capacidade, de uma mesma grandeza (M);

- Resolver situação-problema que envolva o conceito de medida de capacidade (M e DC);

- Criar e resolver situação-problema que envolva a composição e decomposição do sistema monetário brasileiro (M e DC);

- Reconhecer, compreender e construir os conceitos de medidas e grandezas, utilizando situações problema que possibilitem a sua aplicação e uso no contexto social (DC e OTM);

- Medir massa usando o g e o kg como unidades convencionais de medida de massa e estabelecendo uma relação entre elas (M);

- Fazer estimativa de medida de capacidade, massa, tempo e comprimento (M);

- Utilizar as noções de metade e quarta parte associadas a medidas de capacidade, comprimento, massa e tempo (M).
Antes de iniciar a aula é interessante que o professor faça algumas perguntas como: “Qual é a medida de sua altura”? ; “Quantos quilogramas você pesa”?; “Quantos litros de gasolina cabem num carro popular”?; “Qual é a área da superfície do piso de seu quarto”?; “Quantos litros de água cabem na caixa- d’água da sua casa”?.   Essas perguntas têm o objetivo de problematizar o que será estudado a seguir.

Júlia tinha 5,5m de tecido. Ela fez uma saia e uma blusa. Para a saia foram necessários 2,45m de tecido e 1,80m para a blusa. Quantos metros de tecido restaram?
R= 2,45+180 =4,25; 5,50-4,25= 1,25 m
Ou 5,50 - 2,45 = 3,05; 3,05 - 1,80= 1,25 m

- Solicitar que a turma observe altura, massa corporal “peso”, fornecer papel e régua aos estudantes para que desenvolvam atividades como: medir é comparar, escolher se uma unidade é adequada, comparar esta unidade com o que deseja medir (área com área; volume com volume e capacidade com capacidade) e estabelecer o número de unidades obtidas;
1) Complete corretamente, usando os símbolos Kg, g ou MG:
a) Renato pesa 58-----
b) Um passarinho pesa aproximadamente  25___
c) Uma galinha pesa aproximadamente 3___
d) Um comprimido pesa aproximadamente 2----

EX: subi na balança usando tênis e ela marcou 54,370 Kg. Tirei os tênis e tornei a me pesar. Dessa vez a balança marcou 53,420 Kg. Quanto pesa o par de tênis?
Resposta: Os tênis pesam 0,950 Kg.

- Apresentar situações-problema relacionadas ao dia a dia do estudante e que envolva o manuseio de dinheiro;

- Simular uma loja com vários eletrodomésticos e em cada um afixar o valor e as condições de pagamento, a prazo e a vista.
Observe e responda:
1-    Qual o valor do televisor a prazo?
2-    Quanto eu economizaria se comprasse a vista?
3-    João comprou um televisor e um DVD. Quanto ele pagou?
4-    Cláudio comprou um DVD em 6 prestações. Quanto economizaria se tivesse comprado á vista?
- Aproveitar os conhecimentos dos estudantes em Geografia, na observação de um mapa, para trabalhar a escala utilizada na confecção de mapas.
1-    Utilize o mapa abaixo.
a)    Qual é o significado da informação “Escala: 1:450.000”, constante no mapa?
Discuta com a turma as respostas obtidas e solicite que registrarem.

Transformando unidades, temos: 450 000 cm = 4,5 km
A cada 1 cm representado no mapa, corresponde a 4,5 km do tamanho real.
b)    Quantos centímetros são necessários para representar no mapa a distância de 18 km ?
Uma solução: 18/4,5 = 4
Resposta: São necessários 4 cm
.
Professor, você pode explorar, através de pesquisa por parte dos estudantes, distâncias reais de locais constantes no mapa e respectivas distâncias no desenho.
Formalize o conceito de escala registrando que:


EIXO: Geometria
CONTEÚDOS
CONTEÚDOS
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Ampliação das experiências com polígonos regulares;


  • Exploração das características dos polígonos regulares;








- Inferir sobre a diferença existente entre poliedros (sólidos formados por superfícies planas) e corpos redondos (superfícies arredondadas) (M);

- Comparar e relacionar poliedros e corpos redondos a objetos criados pelo homem (M, DC e OTM);

- Identificar movimentos de translação, rotação e reflexão das figuras em padrões geométricos (M e DC).


- Planificar e montar sólidos, pois constitui um excelente exercício de visualização espacial;

- Solicitar aos estudantes que tragam caixas e embalagens para planificá-las;

- Questionar aos estudantes que formas têm as embalagens que são utilizadas em suas casas. A finalidade dessa conversa inicial é a de perceber se eles já possuem algum conhecimento sobre os sólidos geométricos;

- Distribuir os diferentes moldes e as folhas de cartolina para cada grupo construírem as formas. Recortar os contornos com bastante cuidado e que dobrem bem os vincos para montar as caixas. Passe pelos grupos e à medida que montam as caixas faça perguntas no sentido de que estabeleçam relação de cada forma com objetos do mundo real;

- Estimular os estudantes a descobrirem e comentar a diferença entre poliedros e corpos redondos;
O trabalho com embalagens favorece o estudo das formas geométricas. Nesse processo, é interessante que os estudantes sejam estimulados a fazer conjecturas sobre as observações e argumentar sobre suas conclusões. As atividades de planificação de caixas oferecem situações em que se podem explorar formas geométricas planas (poliedros, polígonos e círculos) e espaciais (poliedros e corpos redondos, levando o estudante a perceber semelhanças e diferenças entre elas (superfícies planas, arredondadas, formas das faces, simetria, etc.) e reconhecer os elementos que compõem (lados, ângulos, faces, vértices e arestas).

- Solicitar que os estudantes construam/montem formas geométricas utilizando papel, canudinhos, etc. Compare as figuras geométricas planas com as figuras espaciais. Peça a turma que leve para escola um objeto do qual eles gostam, como brinquedo ou material escolar. Em grupos, peça que desenhem o objeto de três pontos de vista:
Primeiro desenho: vista de frente;
Segundo desenho; Vista de cima;
Terceiro desenho: Vista de lado;
Faça questionamentos com os estudantes sobre a experiência. Socialize a experiência com os outros grupos.
EIXO: Estatística, probabilidade e combinatória
CONTEÚDOS
CONTEÚDOS
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Coleta e registro de informações;

  • Interpretação de informações;

  • Representações de informações em gráficos de setores, de barras e de segmentos.


 - Ler, interpretar e descrever por escrito dados representados em gráfico de disco (M);

- Ler e interpretar as informações de maneira organizadas, por meio de listas, tabelas, diagramas e gráficos (DC);

- Explorar a ideia de probabilidade em situações problema (DC).
- Coletar informações em jornais, revistas, filmes, livros, etc;

- Construção de gráficos  a partir das informações coletadas;
O texto abaixo se refere aos dados de uma pesquisa que o instituto Kerosabe realizou de março á julho sobre o número de alunos que acessam a internet na região de Pirapora do Norte.
 “(...) a internet está cada vez mais próxima das nossas crianças. O aumento da renda salarial dos trabalhadores de todas as regiões do Brasil propiciou condições á população de adquirirem seus primeiros computadores, permitindo o acesso ao meio de comunicação mais popular do mundo - a internet.
Em março, a população de internauta de Pirapora do Norte foi de 1.050 pessoas, em abril o número subiu para 1.345 internautas, em maio 1480 pessoas tiveram acesso á internet.
1.740 pessoas acessaram em junho e em julho 2.579 pessoas. Órgãos do governo projetam mais investimentos neste setor nos próximos anos (...)”

- Propor a representação e leitura do gráfico. Questione a turma para garantir a compreensão das informações. O tema permite interação com as outras áreas do conhecimento, especialmente em geografia.
EX: A análise de alguns gráficos de variação de temperatura, população de uma região, etc.







EIXO: História das organizações populares (DC).
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Os holandeses em Pernambuco;

  • Minha cidade – ontem e hoje.






- Identificar a contribuição dos holandeses para o crescimento do Recife (OTM);

- Analisar os reflexos da influência holandesa na cultura brasileira (OTM);

- Identificar as práticas econômicas utilizadas desde o início da colonização do Brasil, sua importância para ocupação da região nordestina (...) DC;

- Identificar os diversos conflitos ocorridos em Pernambuco nos séculos XVII e XVIII (DC);

- Identificar algumas características da cidade em outras épocas (M);

- Confrontar características identificadas na cidade hoje e em outras épocas (M);

- Representar os conhecimentos construídos através de textos em formatos diversos (mapas, gráficos, tabelas, maquetes, etc.) DC.


- Iniciar a aula mostrando que a ocupação holandesa no território brasileiro acontece entre 1630 e 1654, mas que, anteriormente, já havia interesse holandês em explorar as riquezas do Brasil;
Depois, perguntar aos estudantes: Quais interesses vocês teriam em relação ao Brasil se vivessem nesse período? Por que vocês iriam querer dominar um território que já era colonizado por Portugal? Registrar as ideias em um cartaz e, a seguir, mostrar para a sala, por meio de outro cartaz, já preparado, as razões históricas do interesse holandês;
- Relatar sobre o período em que os holandeses dominaram parte do litoral nordestino e sobre como efetuaram a exploração do açúcar. É importante salientar os movimentos de resistência à ocupação e, ao mesmo tempo, os interesses que fizeram com que os senhores de engenho não se indispusessem com a burguesia holandesa. Além disso, conhecer os objetivos da Companhia das Índias Ocidentais faz com que os estudantes visualizem as relações da ocupação holandesa com toda uma macroestrutura histórica, capaz de esclarecer, inclusive, o fim da dominação espanhola;

- Pesquisar quais são os principais produtos agrícolas para a economia nacional e que posição ocupam seus produtores na sociedade brasileira. Esta pesquisa é interessante para que os estudantes percebam as relações do que foi estudado com o presente. Analisar esses dados com os estudantes, sem se esquecer de demonstrar que, atualmente, existem muitas outras atividades que sustentam a economia brasileira;
Depois de terminado esse trabalho, abordar novamente a ocupação holandesa, de maneira a mostrar a importância do açúcar para a economia nacional;
- Iniciar o tema mostrando aos estudantes o mapa político de Pernambuco para que conheçam os municípios que compõem nosso estado;
- Questionar oralmente, sobre o que acham de como surgiram às cidades e como foram divididas daquela forma (anotar as respostas para socialização/discussão);
- Disponibilizar para a turma textos, imagens, etc. sobre o surgimento das vilas, povoados e, posteriormente, das cidades. Deixar que os estudantes manuseiem e procurem verificar se as hipóteses da etapa anterior são verdadeiras ou não;
- Produzir um texto (individual ou coletivo) que aborde as questões observadas. Informar aos estudantes que esse texto não será finalizado nesse momento, pois terá um complemento a ser produzido sobre a cidade em que vivem;
- Propor aos estudantes o levantamento de informações sobre a origem e organização da própria cidade. Esse levantamento pode ser feito em museus locais (se houver), por meio de entrevistas com idosos que vivem na cidade e por meio de visitas a órgãos públicos como a prefeitura ou a câmara dos vereadores (se possível, organizar uma entrevista com os vereadores da casa);
- Propor a turma que continue a escrita do texto com as informações locais levantadas.


GÊNEROS TEXTUAIS SUGERIDOS: Poema

EIXO: Localização e espaço
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
·         Brasil – localização geográfica.







- Localizar o Brasil e o estado onde vive em diferentes representações cartográficas (M).

- Apresentar diferentes mapas aos estudantes, como: Brasil regional, Brasil político, mapa da América do Sul, ou mesmo um planisfério. Proponha a leitura de cada um deles, analisando o título e as demais informações que neles contém;

- Solicitar a comparação entre mapas, partindo do menor espaço representado para o maior. Enriqueça a proposta com outras atividades, apresentando a decomposição dos espaços da Terra, a partir do planisfério, até o domínio brasileiro, solicitando, por exemplo: “Como se localiza o Brasil em relação à sua vizinhança, às linhas imaginárias principais e aos hemisférios?” dentre outros. Forme grupos e proponha a elaboração de perguntas sobre o assunto para serem trocadas e respondidas por outros grupos.
EIXO: Paisagens urbanas e rurais
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
·         A formação do território brasileiro;
·         Organização política do Brasil: as regiões brasileiras.





- Analisar as bases histórico-geográficas responsáveis pela formação territorial, socioeconômica e cultural do município e Estado onde vive (M);

- Identificar as diferentes formas de organização político administrativa do Brasil (M);

- Diferenciar o papel do poder público municipal, estadual e federal na organização do espaço da cidade e do campo (DC).
- Entregar a cada estudante o texto abaixo e realizar leitura coletiva.

Aquarela Brasileira
(....)
Passeando pelas cercanias do Amazonas
Conheci vastos seringais
No Pará, a ilha de Marajó
(....)
Caminhando ainda um pouco mais
Deparei com lindos coqueirais
Estava no Ceará (...)
Fiquei radiante de alegria
Quando cheguei na Bahia
Bahia de Castro Alves, do acarajé
Das noites de magia do candomblé
(...)
Assisti em Pernambuco
A festa do frevo e do maracatu
Brasília tem seu destaque
Na arte, na beleza e arquitetura
Feitiço de garoa pela serra
São Paulo engrandece a nossa terra
Do leste, por todo o Centro-Oeste
Tudo é belo e tem lindo matiz
O Rio dos sambas e batucadas,
Dos malandros e mulatas
De requebros febris
Brasil,
Essas nossas verdes matas
Cachoeiras e cascatas
De coloridos sutil
E este lindo céu azul de anil
Emolduram em aquarela o meu Brasil.
(...)
Silas de Oliveira. CD:Maravilha de cenário.RCA VICTOR.
Disponível em: http://letras.terra.com.br/silas-de-oliveira, acesso em: fev.2012.

Discuta oralmente estas questões com o grupo:
Por que o título da canção é “Aquarela brasileira”?
Quais são as regiões do Brasil que não têm nenhum estado citado na canção?
Distribua o mapa da capitania hereditária em seguida peça que compare com o mapa atual escrevendo a diferença entre eles.

- Permitir que os estudantes discutam entre seus pares ou grupos e, com base nos conhecimentos sobre a história do Brasil, cada grupo produzirá um texto, explicando a evolução histórica das fronteiras e o estabelecimento dos limites do território brasileiro, desde o descobrimento até os dias atuais.

- Dividir a turma em cinco grupos. Cada grupo deverá pesquisar sobre uma região do Brasil, ampliando informação sobre:
* dimensão territorial, hidrografia, clima, e vegetação;
* principais fontes de riqueza da região;
* principais pontos turísticos e formas de lazer da população;
* principais manifestações folclóricas: festas, músicas e danças típicas da região;
* pratos típicos da região.
Para isso, organize previamente o material de consulta: escritos, fotos, vídeos, mapas, guias de turismo, notícias de jornais e endereços de site. Incentive cada grupo a escolher uma forma diferente para a exposição da pesquisa.


Gêneros textuais sugeridos: Relatório, cartaz, lista, pesquisa escolar, notícia.

EIXO: Ser humano e saúde
CONTEÚDOS
HABILIDADES
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
  • Sistema urinário;











  • Sistema locomotor;







  • Sistema nervoso;














  • Poluição atmosférica e a água;
  • Impacto ambiental causado pelo ser humano;











  • Espécie humana;



  • Lixo;


  • Som e audição.
- Representar (localizar, nomear e descrever) órgãos e sistemas do corpo humano... (DC);

- Conhecer os órgãos das vias urinárias, suas funções e principais patologias (OTM);

- Relatar a importância do consumo diário da água para o organismo (OTM);

- Conhecer a divisão do esqueleto, os ossos e sua localização e relação aos músculos (OTM);

- Citar os cuidados com os ossos e músculos e as doenças que atacam o sistema locomotor (OTM);

- Identificar a relação entre os órgãos do sistema nervoso e o funcionamento do corpo (OTM);

- Citar as principais patologias e os meios de se obter uma vida mental saudável (OTM);

- Selecionar e justificar propostas em prol da saúde mental dos indivíduos, ou da coletividade em diferentes condições sócio ambientais (DC);

- Identificar as causas da poluição atmosférica (M);

- Correlacionar efeito estufa e aquecimento global (M);

- Valorizar atitudes responsáveis com o meio ambiente (DC);

- Tratar da poluição atmosférica e seus efeitos sobre a saúde (M);

- Interpretar gráficos de crescimento de população e gasto energético (M);

- Explorar o impacto do aumento das populações urbanas local e globalmente (M);

- Descrever a produção do lixo e sua destinação (M);

- Explorar casos de poluição visual e sonora nas grandes metrópoles (M);

- Falar sobre os sons a que estamos acostumados e audição (M).                                                                                                  
*Professor, as funções renais são complexas e, neste nível do ensino, devem ser tratadas apenas quanto ao aspecto de filtração do sangue e à formação da urina. As questões a seguir são para seu conhecimento, haja vista não serem necessárias passar para os estudantes neste momento: Os rins são responsáveis pela filtração do sangue arterial que chega até eles. Nesse processo, as substâncias nocivas às células, como ureia, creatina, ácido úrico, produtos da degradação de hemoglobina e de hormônios, são eliminadas. Os rins também eliminam as substâncias indesejadas que ingerimos, o excesso de água, de vitaminas e de sais minerais. Além da função filtradora, os rins ainda atuam no controle da pressão arterial e na produção de hormônios.

Após uma conversa com as crianças, apresente um cartaz com o desenho do sistema urinário no corpo humano. Destaque os órgãos do sistema urinário (rins, ureteres, bexiga urinária e uretra) e a importância do consumo diário da água para o organismo.

- Propor uma palestra com um profissional da saúde para que ele fale sobre a função do sistema urinário e comentar também as possíveis causas de uma criança urinar na cama até uma idade mais avançada e como lidar com a situação;

- Solicitar às crianças que desenhem e escrevam quais são os órgãos do sistema urinário;

- Propor uma pesquisa sobre hemodiálise e para que é utilizada;

- Propor a produção de um texto (gênero pesquisa) focando a importância da água em nosso organismo, enfatizando a importância dos órgãos urinários.
*O sistema esquelético é responsável pela sustentação do corpo. Os sistemas esquelético, articular e muscular trabalham em conjunto, coordenados pelo sistema nervoso.

- Solicitar que os estudantes tragam para a sala de aula radiografias de partes ósseas do corpo humano. Sugerir que juntem todas elas e tentem formar o esqueleto humano;

- Promover o “Dia da postura”. Oriente os estudantes para que sentem com a coluna reta, encostada no espaldar da cadeira. Verificar se adotam essa postura no dia a dia.
*O esqueleto é construído, pela união dos ossos. Essa união não tem apenas a função de mantê-los em contato, mas também de permitir a mobilidade do corpo humano.

- Utilizar as radiografias de partes de corpos dos estudantes para montar o sistema esquelético e pedir que eles localizem as articulações;

- Levar as crianças ao pátio e brincar de correr, agachar, parar e andar. Eles devem levar caderno, lápis e borracha. Orientá-los para que fiquem atentos às articulações que utilizam nessas brincadeiras. Em seguida, pedir que se sentem e façam um relatório indicando as articulações utilizadas enquanto brincavam.
*Revise com os estudantes os cinco sentidos. Faça algumas perguntas a eles para que possam relembrar os conhecimentos já adquiridos em anos anteriores. Leve-os até a biblioteca da escola/sala de leitura para que realizem uma pesquisa sobre os sentidos em livros didáticos.
*Verifique se na biblioteca da escola existem livros de anatomia e fisiologia humana. Leve-os à sala de aula a fim de que os estudantes possam observar outros detalhes do sistema nervoso.
*Explique as crianças que o sistema nervoso é quem comanda nosso corpo e nos leva a ter reações.
*O organismo apresenta estruturas que captam informações, e estas são encaminhadas para o cérebro. O cérebro interpreta a mensagem recebida e produz uma resposta que é enviada, também por meio de nervos, para determinado órgão, conforme a situação.
*Geralmente, quando se fala em nosso sistema nervoso, pensa-se somente no cérebro, talvez por estarem ligados a ele os processos de aprendizagem e do pensamento. É importante levar os estudantes a associar a medula espinal como parte integrante do sistema nervoso. Para isso, dê exemplos de pessoas que perdem determinados movimentos do corpo quando, em um acidente, têm a medula atingida.

- Apresentar ilustrações das partes que formam o sistema nervoso, leve as crianças a analisarem, observando e descrevendo suas funções. Ao comentarem as ações sobre as quais temos controle e sobre as quais não temos, pedir aos estudantes exemplos para verificar se realmente entenderam esse processo;
Para que percebam os estímulos que vêm de dentro do nosso organismo, perguntar que situações nos levam a ter reações e se estas são estímulos espontâneos do nosso organismo ou não.

- Pesquisar sobre quais as doenças afetam o sistema nervoso, seus sintomas e tratamento;

- Ler e dialogar sobre a definição de poluentes para que os estudantes compreendam as alterações que essas substâncias provocam no ar;
A partir de uma roda de conversa, tente conscientizar as crianças das graves interferências causadas pelos poluentes à saúde humana e ao ambiente, ocasionando a chuva ácida, a destruição da camada de ozônio e o agravamento do efeito estufa, que provoca o aquecimento global. Informe que as doenças respiratórias causadas pela poluição do ar são um grande problema para a saúde pública, uma vez que os gases com hospitais, pronto-socorros e postos de saúde aumentam consideravelmente;

- Propor aos estudantes a realização de pesquisa sobre qual o meio de transporte utilizado para chegar à escola. Inicialmente registre as informações em uma tabela e, em seguida, transferi-las para um gráfico de barras simples. Exemplo: a pé; de carro; de ônibus; de metrô e outros (especificar);

- Analisar, coletivamente, se a classe colabora com a redução da poluição do ar na cidade;

- Solicitar que os estudantes coletem notícias sobre atitudes que têm sido tomadas pelos governos para que haja melhoria na qualidade do ar;

- Propor uma pesquisa em jornais, revistas e internet, durante duas semanas, se possível, dados sobre a qualidade do ar em centros urbanos como Pernambuco (PE), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), entre outros, e os compararem aos de cidades menores. Pedir que avaliem a diferença entre esses locais, focando a qualidade de vida dos moradores dessa cidade;

- Propor a realização de um gráfico comparativo da população entre os grandes centros urbanos e as cidades menores. Caso contrário, solicitar que pesquisem sobre a população em jornais, revistas e internet para poder realizar a atividade.
*Leve os estudantes a entenderem que o efeito estufa é um fenômeno natural e necessário para que se mantenha a temperatura da Terra.
*Chame atenção para a importância do equilíbrio da temperatura na Terra, pois graças a isso é possível existir a diversidade de seres vivos que compõem a fauna e a flora do nosso planeta.

- Propor a confecção de cartazes sobre o efeito estufa, com desenho explicativo, e afixá-los na sala de aula e nos corredores da escola;

- Propor uma pequena apresentação teatral sobre o beneficio do efeito estufa, para que seja assimilada por todos os estudantes a importância desse fenômeno para o planeta;

- Convidar os estudantes para observarem o lixo existente nos arredores da escola. Antes da observação, pense e responda: Que variedade de lixo você e seus colegas esperam encontrar? Onde o lixo será encontrado?
Depois da observação, desenhe um mapa dos arredores da escola. Indique no mapa onde o lixo foi encontrado. Preencha o quadro com as informações obtidas.

- Apresentar um texto com informações gerais sobre as origens e os destinos do lixo. Faça o trabalho de leitura e compreensão do texto, em seguida, pergunte: Quais são as diferenças entre o lixo biodegradável e o lixo persistente?

- Solicitar que os estudantes comparem os diferentes modos de tratar o lixo, pensando nos benefícios ou prejuízos que trazem ao ambiente e nos gastos envolvidos em cada solução;

- Solicitar que os estudantes realizem uma pesquisa sobre para onde vai o lixo do lugar onde eles moram e que tipo de tratamento ele recebe. Para isso, eles devem conversar com os adultos ou consultem a prefeitura de seu município.
*Existe uma imensa diversidade de poluição (da atmosfera, da água e do solo) que se faz presente no campo e principalmente nas cidades. A poluição é resultado de um modelo de vida consumista, proveniente das atividades humanas. Além dos tipos de poluições citadas, a poluição sonora e visual também contribui de forma negativa, produzindo sérios problemas nos grandes centros urbanos do país.
A poluição sonora tem vários fatores desencadeantes que fazem parte dos fluxos urbanos, o barulho é emitido principalmente por veículos automotores (caminhão, ônibus, carros e motos), na construção civil na qual os trabalhadores produzem sons o tempo todo e por vendedores ambulantes. A poluição visual não causa doenças, porém esteticamente é ruim para a cidade. A poluição visual é resultado essencialmente da imensa quantidade de anúncios publicitários que quase sempre são extravagantes. Ocasionalmente, esses anúncios tendem a apresentar preconceito em relação às mulheres, os índios, os negros ou aqueles que apresentam orientações sexuais diferentes da heterossexual.

- Conversar sobre os diferentes tipos de poluição nas cidades, em seguida, solicite que os estudantes fechem os olhos e percebam os diferentes tipos de sons que podem escutar na sala de aula. Pedir que listem no caderno, ao menos, cinco sons que escutam constantemente na escola. Questionar se sabem o que é Poluição Sonora? Peça que deem exemplos, relatando em que espaços já identificaram esse tipo de poluição. Na escola há esse tipo de poluição? Onde a identificam?

- Solicitar que os estudantes listem, os principais lugares da escola onde há poluição sonora, caso a identifiquem no ambiente escolar;
Após a exploração inicial do tema, convide os estudantes para assistirem aos seguintes vídeos, acessando os links: O Barulho em nossa escola (Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=ZvTzSuoIzTk), Como fazer para diminuir o barulho (Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=Cz0yrhigTso&feature=related).

Após a exibição, explorar o conteúdo dos vídeos com os estudantes, fazendo uma associação com o barulho produzido em sua própria escola. Como tarefa complementar, oriente-os a observarem os sons produzidos durante o recreio em sua escola. Se possível, os estudantes deverão gravar os diferentes sons existentes na escola: durante o recreio, no pátio, após o recreio e em uma sala silenciosa. Estas gravações poderão ser apresentadas em sala para que eles possam comparar a qualidade de uma atividade realizada em um ambiente com poluição sonora e em outro ambiente silencioso;

- Solicitar que os estudantes andem pela escola e registrem mediante fotografias, o que consideram que polui visualmente o ambiente. Convide-os a caminharem pela escola observando todo o material ilustrativo que estiver afixado nos diferentes espaços físicos. Solicitar que registrem o maior número de informações possíveis referente ao que foi observado. Ao retornar à sala, todos terão a oportunidade de relatar o que puderam apreender de todas as informações que tiveram contato, como: cartazes informativos sobre campanhas diversas, convites, regras, avisos, placas de localização e demais materiais que usualmente são afixados nas escolas;

- Propor aos estudantes a realização de uma pesquisa com o corpo discente e docente da escola.  A pesquisa terá como objetivo investigar junto a esse público a sua percepção sobre a poluição sonora e visual presente na escola. Para isso, sugere-se a confecção de um questionário que deverá ser respondido individualmente por todos os participantes. Sugere-se que o questionário contenha inicialmente algumas informações sobre a pesquisa com esclarecimentos quanto ao tema. É importante também colher informações sobre os dados dos participantes. Em seguida, serão apresentadas quatro questões, sendo duas fechadas e duas abertas. Assim, propõe-se a seguinte formatação para o cabeçalho da pesquisa e, a seguir, as perguntas que poderão ser feitas:
*Modelo de cabeçalho para a entrevista:
 Sabe-se que a poluição sonora e visual no contexto escolar interfere consideravelmente na qualidade do ensino e aprendizagem dos estudantes e professores. Entende-se que poluição sonora “é o efeito provocado pela difusão do som num tom demasiado alto, sendo o mesmo muito acima do tolerável pelos organismos vivos, no meio ambiente. Dependendo da sua intensidade, causa danos irreversíveis nos seres humanos“. “Dá-se o nome de poluição visual ao excesso de elementos ligados à comunicação visual (como cartazes, anúncios, propagandasbannerstotensplacas, etc) dispostos em ambientes urbanos, especialmente em centros comerciais/shoppings centers e de serviços”. Preocupados com essa questão nós, estudantes do (  ) ano, resolvemos investigar se existe poluição sonora e visual em nossa escola. Para isso, contamos com a sua colaboração respondendo ao questionário abaixo. É importante ressaltar que nenhum participante será identificado e as informações obtidas por meio dessa investigação serão utilizadas para fins científicos apenas. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário